Valter Cardoso navegou até ao pódio no Brasil

Rally do Jalapão.

Valter Cardoso garantiu um lugar no pódio, na sua estreia como navegador numa prova de ralis no Brasil. Amarantino arrecadou um segundo lugar na categoria Autos T1 e um terceiro na geral do Rally do Jalapão, no Brasil. 

Foram cinco dias de prova, de 21 a 25 de junho, num total de 1500 quilómetros, em que a equipa da Xrallyteam, constituída pelo piloto brasileiro Augusto Montani e co-piloto Valter Cardoso e estiveram ao comando da nova Ford Ranger V8, tendo concluído a prova no segundo lugar na categoria Autos T1 e no terceiro lugar na geral do Rally do Jalapão.

Questionado pela AMARANTE MAGAZINE sobre a participação no Rally do Jalapão, Cardoso afirmou: “Foi uma prova muito dura e bem difícil para as mecânicas das viaturas, pois realiza-se quase toda em pisos de areia. São “estradões” com areia solta onde andámos muitos quilómetros no limite máximo de velocidade dos carros. No entanto, competir no Brasil foi, sem dúvida, um desafio excelente”.

E continuou: “Adoro praticar navegação no desconhecido. Isso preenche-me enquanto navegador. Um dos objetivos da minha participação prendeu-se, também, em ajudar um novo piloto que se estreou na categoria dos autos (antes só tinha competido de SSV) e só posso dizer que o meu desejo foi cumprido na íntegra, pois quase que vencíamos a etapa final da prova. Acho que efetuei um trabalho de navegação sem erros do início ao fim e dei o meu máximo para conseguir ambientar o piloto à nova Ford Ranger V8 que este tinha adquirido”.

“Foi uma experiência única que adorei viver. A navegação é diferente de Portugal, mas isso é que me permite evoluir e levar para casa muitos conhecimentos. Um exemplo são as médias de velocidade. Chegámos a andar muitas vezes a 185km/h nos caminhos estreitos de areia do Jalapão, pois o terreno permite isso. Foi um privilégio participar nesta prova”, sublinhou.

 A viver ainda as emoções do Rally Jalapão, Valter Cardoso quis agradecer “a todos os elementos da Xrallyteam (desde a equipa técnica e de terreno, aos mecânicos, aos engenheiros, à equipa de catering) pelo convite endereçado e por acreditarem e confiarem nos meus serviços de navegação além fronteiras. E, claro, agradecer ao piloto Augusto Montani por confiar na minha ajuda nesta sua estreia e numa prova tão exigente como a do Jalapão. Chegar ao final neste resultado só revela que a equipa esteve em sintonia e trabalhou muito bem dentro do carro. Por isso estaremos juntos para encarar novos desafios”, concluiu.

De referir que a prova teve lugar nos Estados da Bahia e de Tocantins, tendo início e fim em Luís Eduardo Magalhães, passando por Mateiros e São Félix do Tocantis. 

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar