BeePathNet oferece aos amarantinos sementes de plantas melíferas

BeePathNet ofereceu plantas melíferas à população (Foto AM)

Quem, na manhã desta quarta-feira, foi fazer comprar compras ao Mercado Municipal de Amarante, deparou, logo à entrada, com uma nova banca, onde, em vez de se venderem produtos, ofereciam-se, a quem passava, sementes de plantas melíferas: de amieiro, trevo brando e híbrido, girassol, fava, luzerna e nabos diversos.

Tratou-se de uma ação de sensibilização do projeto europeu BeePathNet à população, chamando a atenção para importância daquelas espécies e para o impacto que as abelhas têm no nosso ecossistema e biodiversidade. 

As abelhas, recorde-se, são o maior polinizador do mundo, sendo responsáveis pela polinização de cerca de 80 por cento das culturas agrícolas. E porque falar de abelhas é falar de apicultura, convém referir que esta é uma atividade de enorme importância. É através da apicultura que se obtém o mel, alimento consumido pelo homem há mais de 200 mil anos , sendo que o mel é o único produto doce que contém proteínas, diversos sais minerais e vitaminas essenciais à nossa saúde. Além do alto valor energético, o mel possui propriedades medicinais, sendo um alimento de reconhecida ação anti-bactericida.

O mel como produto turístico

O concelho de Amarante, através das serras do Marão e Aboboreira, reúne ótimas condições para a produção de mel, estando a maioria dos apicultores associados na Apimarão (Associação dos Apicultores do Marão e Aboboreira). O mel, de resto, é, hoje, no Município encarado como produto turístico. A Inside Experiences, um operador local, criou, mesmo a “Experiência do Mel”, juntando-a “outras experiências extraordinárias, repletas de memórias inesquecíveis e momentos de pura harmonia com a natureza e a história”.

Os tours que a Inside Experiences oferece são os seguintes: (1) um passeio de jipe na montanha (Marão), onde são visitados os locais mais antigos ligados à instalação de colmeias, sendo apresentada toda a história da criação de abelhas e produção de mel ao longo dos tempos, terminando o passeio com um piquenique onde são servidos produtos à base de mel; (2) o segundo consta da visita a um produtor local, fazendo o trabalho dele por um dia, que inclui as rotinas de cuidar dos apiários e a própria extração de mel, sempre que tal seja possível. A degustação de produtos gastronómicos que integrem o mel na sua confeção faz também parte desta experiência.

Amarante é cidade BeePath

O programa BeePath (Caminho das Abelhas) começou por ser desenvolvido em 2015, em Liubliana, Eslóvénia, pretendendo-se elucidar a população sobre a importância das abelhas para nossa sobrevivência e segurança alimentar, descobrir a necessidade do mel para a nossa dieta diária, mas também saber mais sobre a prática da apicultura da cidade, tendo sido criada uma rede de parceiros locais, um caminho turístico e educacional e uma incubadora para o desenvolvimento de novas ideias empreendedoras.

De uma forma muito resumida, trata-se de um projeto de apicultura urbana sustentável, com o objetivo de criar cidades mais verdes, preservando os recursos naturais e a biodiversidade.

Depois de implementado em Liubliana – que é hoje a cidade líder da rede – foi reconhecido pelo programa URBACT da União Europeia como uma “boa prática” e evoluiu para uma rede de transferência, constituída por mais cinco cidades europeias, entre as quais Amarante: Ljubljana, Eslovénia, enquanto cidade líder; Amarante, Portugal; Bydgoszcz, Polónia; Cesena, Itália; Nea Propontida, Grécia e Hegyvídek, Hungria.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar