Faleceu o poeta e cronista A. Magalhães

A.Magalhães (esquerda). imagem cortesia de Eliseu Pinto (direita)

O poeta e cronista amarantino A. Magalhães (pseudónimo de António da Cunha) faleceu na terça-feira, dia 1 de outubro, aos 98 anos de idade.

Natural de Passinhos, Vila Caiz, A. Magalhães (na imagem acima, à esquerda) conta com inúmeras colaborações em várias publicações, nomeadamente a Flor do Tâmega, o Jornal de Amarante, Jornal da Lixa, a Gazeta do Sul e o República.

Ao longo da sua carreira como colaborador da imprensa regional, A. Magalhães – assim assinava os seus trabalhos – dedicou-se à crónica e à crítica social e política, sobretudo. A sua primeira publicação, Uma Tarde no Parque Florestal, foi publicada no jornal  Flor do Tâmega, em inícios dos anos 50.

O seu primeiro livro de poesia Nasci à beira dum Rio foi publicado em 2012, quando o autor tinha 91 anos. Cinco poemas da sua autoria estão inseridos na coletânea Poetas Amarantinos Anos 80.

Autodidata por natureza, este filho de lavradores revelou uma inteligência acima da média durante os seus estudos primários, na Livração. Foi funcionário das Indústrias Reunidas do Tâmega e, mais tarde, da empresa Construtora do Tâmega, onde trabalhou até se reformar.

Entre 1974 e 1975, serviu como vereador da Cultura na Câmara Municipal de Amarante.

O seu funeral realizou-se ontem, dia 2 de outubro, em Passinhos, Vila Caiz.

 

* com a colaboração de Eliseu Pinto

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar