Linha do Douro vai ser electrificada até Peso da Régua

Linha do Douro vai ser electrificada entre Marco de Canaveses e Peso da Régua, numa extensão de 45 quilómetros. (Foto AM).

Depois da eletrificação da Linha do Douro no troço Caíde de Rei – Marco de Canaveses, deverão iniciar-se no segundo semestre de 2022 as obras para a eletrificação daquela via entre Marco de Canaveses e Peso da Régua, segundo informação do Município de Baião, um dos concelhos servidos pela Linha do Douro.

Apresentada em 2018, a obra viria a derrapar no tempo devido a dificuldades registadas pelo consórcio que havia ganho o concurso para a elaboração do projeto, que, atualmente, está em fase de apreciação pela Agência Portuguesa do Ambiente, no que respeita ao estudo de impacto ambiental.

No entanto, de acordo com a Câmara Municipal de Baião, “existem intervenções que poderão avançar sem que exista ainda declaração de impacto ambiental, como o rebaixamento e reforço dos túneis”, trabalhos que permitirão, posteriormente, a colocação das catenárias elétricas.

Na sequência de reunião que juntou os Presidentes das Câmaras Municipais de Baião, Paulo Pereira, e de Resende e Mesão Frio, respetivamente Alberto Pereira e Manuel Garcês Trindade, bem como técnicos da Infra-estruturas de Portugal, o edil baionense relevou,  “a importância desta obra, naquilo que significa em termos de melhoria de mobilidade, conforto e segurança para as nossas populações”, para além dos impactos no turismo, porque, disse, “vai facilitar a chegada de pessoas ao nosso território. Não apenas a Baião, mas também a Cinfães, Mesão Frio e Resende. Todos estamos expectantes de que esta obra fique rapidamente à disposição das pessoas e do desenvolvimento do território”, acrescentou.

Obras decorrerão em 45 quilómetros de via

O troço ferroviário entre Marco de Canaveses e Régua tem cerca de 45 quilómetros e é composto por seis estações, sete apeadeiros e seis túneis, dos quais o maior é o do Juncal com 1690 metros.

Para além da eletrificação do percurso e da adaptação e desnivelamento dos túneis, o projeto prevê a modernização e uniformização dos comprimentos e alturas das plataformas de embarque, de modo a proporcionar uma melhor acessibilidade a pessoas com mobilidade condicionada.

Prevê-se ainda a modernização da via e da plataforma ferroviária na zona das estações; a instalação de sinalização eletrónica e de um sistema de controlo automático de velocidade; de um sistemas de videovigilância e de mobiliário urbano e iluminação. Os edifícios das estações serão também reabilitados, sendo mantida a sua traça original.

Numa perspetiva de valorização turística, todo os elementos inerentes à eletrificação da linha serão colocados no lado oposto ao rio, para que não obstruam a vista da paisagem. Os abrigos de espera serão em vidro transparente.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar