Luís Castro Mendes recebe Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes

Manuscrito de Teixeira de Pascoaes (Foto: Mara Pinto)

Luís Castro Mendes publicou em 1983 o seu primeiro livro “Desde Recados”, obra em que problematiza a relação entre o sujeito e a realidade e a relação entre o eu e o outro. Foi ministro da Cultura do XXI Governo Constitucional, entre abril de 2016 e outubro de 2018.

Com data inicialmente marcada para 10 de janeiro, e adiada devido à pandemia, a Câmara Municipal de Amarante entrega sexta-feira, dia 9, pelas 9:30, em cerimónia restrita, o Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes, edição 2020, atribuído a Luís Castro Mendes, pela sua obra “Poemas Reunidos”, editada em 2018 pela Assírio & Alvim.

Diplomata e ex-Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes nasceu em 1950, colaborou com o jornal Diário de Lisboa-Juvenil, sobretudo entre 1965 e 1967, licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa, tendo desenvolvido, a partir de 1975, uma carreira diplomática, sucessivamente em Luanda, Madrid e Paris.

Enquadrável numa estética pós-modernista, a obra de Luís Filipe de Castro Mendes revela um universo enigmático, onde estão presentes o fingimento e a sinceridade, o romântico e o clássico, a regra e o jogo.

Estreou-se em 1983 com a publicação de “Desde Recados”, obra em que problematiza a relação entre o sujeito e a realidade e a relação entre o eu e o outro. Foi ministro da Cultura do XXI Governo Constitucional, entre abril de 2016 e outubro de 2018.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar