No Dia Internacional dos Museus: Museu do Douro abre espaço Armanda Passos com 83 obras

Circo

No âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Museus, que se celebra a 18 de maio, este ano dedicado ao tema «O futuro dos museus: recuperar e reimaginar», abre ao público, no Museu do Douro, o Espaço Armanda Passos, artista plástica nascida em Peso da Régua, a 17 de fevereiro de 1944.

No âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Museus, este ano dedicado ao tema «O futuro dos museus: recuperar e reimaginar», abre ao público, no Museu do Douro, o Espaço Armanda Passos, artista plástica nascida em Peso da Régua, a 17 de fevereiro de 1944.

A coleção é composta por 83 obras: desenhos a tinta da china, guaches, óleos, gravuras e serigrafias. A criação deste novo espaço dentro do circuito de visita do Museu do Douro obrigou a reimaginar os espaços do Museu.

O Espaço Armanda Passos é um novo espaço permanente, uma nova ala de visitas, que vai permitir ao visitante fazer um percurso pela diversidade de obras e diferentes técnicas usadas pela artista plástica, e ficar a conhecer melhor a sua arte. Destaca-se, por exemplo, a coleção de serigrafias que foi editada com uma técnica muito particular e pela própria Armanda Passos.

A Ministra da Cultura, o Diretor Geral das Artes, o Presidente da Fundação Museu do Douro e o Diretor do Museu do Douro visitaram no sábado passado a Casa Atelier Armanda Passos, demonstrando todo o apreço pela confiança e entrega das obras.

O trabalho de Armanda Passos tem a mulher configurada como eixo principal, onde não existe qualquer questionamento social.

O Espaço Armanda Passos é uma homenagem à Mulher duriense e à sua emblemática obra, uma das grandes referências nacionais a nível das artes plásticas.

Armanda Passos  será também nome de um espaço na zona ribeirinha, o Parque Armanda Passos, onde, futuramente, estarão expostos elementos escultóricos, reproduzindo em grande escala as figuras emblemáticas da obra da pintora, como as mulheres de volumes avultados e os pássaros, inspiradas na obra da artista. Um projeto em parceria com o Museu do Douro, Câmara Municipal do Peso da Régua, Faculdade de Belas Artes do Porto e a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar