Rota do Românico promove “Inventar-se de Gente”

O Som do Algodão (Foto de Nelson D'Aires).

No âmbito da exposição “Ver do Bago”, a Rota do Românico promove viagem por contos, lendas e poemas. O espetáculo chega a Amarante a 27 de novembro, sábado, iniciando-se às 11:00 no Museu Amadeo de Souza-Cardoso.

“Inventar-se de Gente” é um itinerário sonoro e performativo, protagonizado pelo grupo “O Som do Algodão”, que une os contos de Agustina Bessa-Luís, a poesia de Daniel Faria e o imaginário das obras de Nuno Higino à tradição oral do território da Rota do Românico, explica a Rota do Românico.

O espetáculo, integrado no projeto “Ver do Bago”, vai percorrer os municípios de Celorico de Basto, Amarante, Paços de Ferreira, Marco de Canaveses, Felgueiras, Paredes, Resende, Cinfães e Castelo de Paiva, durante os meses de novembro e dezembro, em apresentações de 40 minutos, direcionadas para crianças e famílias.

O primeiro dos nove eventos está previsto para o dia 26 de novembro, sexta-feira, pelas 14:00, no auditório Marcelo Rebelo de Sousa, em Celorico de Basto

Baseado no cancioneiro tradicional e na tradição oral do espaço geográfico da Rota do Românico, a partir de “Contos Amarantinos”, de Agustina Bessa-Luís, “Poesia”, de Daniel Faria, “O Crescer das Árvores” e “Onde Dormem os Pássaros?”, de Nuno Higino, “O Som do Algodão” propõe uma viagem de sensações, que parte da paisagem natural dos vales dos Sousa, Douro e Tâmega, seduzindo-nos a conhecer as suas lendas, tradições e ofícios. Música para fazer crescer as árvores e histórias para nunca dar ponto sem nó.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar