“Trilho das Azenhas”: Amarante tem um novo local de culto

O Trilho das Azenhas inclui zonas de observação e contemplação do rio e da paisagem (Foto AM)

Depois da Ecopista do Tâmega, de rotas de montanha como a Rota de S. Bento e a PR6 (Pequena Rota 6), no Marão, o Trilho das Azenhas vem, claramente, posicionar Amarante como referência incontornável em percursos de Natureza.

O “Trilho das Azenhas” ainda não foi inaugurado, nem está oficialmente aberto ao público, mas é já o novo local de culto de Amarante, sendo, desde inícios de dezembro passado, visitado e utilizado diariamente por muitas dezenas de pessoas.

Para já apenas no seu primeiro troço, com uma extensão de cerca de 450 metros, mas que no seu traçado integral seguirá a margem direita do rio Tâmega, ao longo de cerca de cinco quilómetros, até Vila Caiz.

O Trilho das Azenhas começa próximo do lugar da Torre e do Rossio, sensivelmente 150 metros antes da conhecida zona das Azenhas, onde existe uma pequena praia fluvial (na verdade, para já, apenas classificada como zona de banhos). 

Toda a área envolvente às Azenhas foi alvo de recuperação urbanística e paisagística, foram feitos ajardinamentos e criadas zonas de lazer e observação e contemplação do rio e da paisagem. Este troço inicial contemplou também a criação de um bonito pontão sobre a Ribeira de Fregim, próximo do local onde, no passado, existiu a antiga ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) de Amarante, cuja área envolvente está, também, em processo de transformação.

Obra do Município, a criação do “Trilho das Azenhas” configura-se como um percurso pedonal para lazer e desporto, mas, pelo menos neste troço inicial, pôs também a descoberto novas vistas e perspetivas desconhecidas de Amarante e do rio.

Depois da Ecopista do Tâmega, de rotas de montanha como a Rota de S. Bento e a PR6 (Pequena Rota 6), no Marão, o Trilho das Azenhas vem, claramente, posicionar Amarante como referência incontornável em percursos de Natureza.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar