Preço da água em Amarante é dos mais altos do país!

Foto de Luis Quintero.

Presidente da Câmara diz que não é nada com ele e que votou contra a concessão do abastecimento à Águas do Norte.

Um agregado familiar com residência em Amarante que consuma, por ano, 120 metros cúbicos de água (10 metros cúbicos por mês), paga à empresa Águas do Norte 470,13 euros, um dos valores mais alto para este segmento.

A conclusão resulta de um estudo da DECO Proteste, que constatou, também, a existência de múltiplos tarifários no país, que tornam os preços “uma balbúrdia”.

Com valores mais elevados, na região do Douro e Tâmega, estão Celorico de Basto , com 447,13) e Baião, 437,95 (estes valores incluem tarifas de saneamento e resíduos).

José Luís Gaspar, Presidente da Câmara Municipal de Amarante, diz que não é nada com ele e demarca-se da situação registada no Município.

Citado pelos serviços de imprensa do Município, o autarca manifesta-se contra a concessão do abastecimento de água a Amarante à empresa Águas do Norte feita, em 2009, pelo Executivo de Armindo Abreu (PS), dizendo que, enquanto vereador da oposição (PSD) votou contra.

“Não somos nós que definimos o tarifário. Eu disse-o sempre: este contrato de concessão é desastroso. Mas, além disso, identificado que está o erro e olhando para o território nacional como um todo, é tempo de agir na regulação do preço deste que é um bem essencial”, refere José Luís Gaspar

Exigindo um tarifário regulado para todo o país, José Luís Gaspar acrescenta que “o que este estudo demonstra é a negação da coesão territorial. Tratando-se de um bem essencial, como se pode permitir tão grande disparidade no preço da água dos diferentes concelhos?” questiona

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar